Livro de Comunicação e Expressão através dos textos

Livro de Comunicação e Expressão através dos textos

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Comunicação


Como os homens se comunicam?

A comunicação humana é uma relação social que se estabelece entre duas ou mais pessoas que desejam trocar informações, idéias e compartilhar sentimentos ou conhecimentos. O ser humano utiliza inúmeros signos universais de comunicação: o choro, para expressar aborrecimento; o sorriso, para manifestar alegria; o beijo e o abraço, para transmitir afeto. As pessoas não se comunicam apenas por meio de gritos, gestos ou símbolos: a comunicação humana se faz, principalmente, pela palavra.

“ A palavra distingue os homens entre os animais; a linguagem, as nações entre si _ não se sabe de onde é um homem antes de ter ele falado. O uso e a necessidade levam cada um a aprender a língua de seu país, mas o que faz ser essa língua a de seu país e na ao de um outro? A fim de explicar tal fato, precisamos reportar-nos a algum motivo que se prenda ao lugar e seja anterior aos próprios costumes, pois, sendo a palavra a primeira instituição social, só a causas naturais deve a sua forma.
Desde que um homem foi reconhecido por outro como um ser sensível, pensante e semelhante a ele próprio, o desejo ou a necessidade de comunicar-lhe seus sentimentos e pensamentos fizeram-no buscar meios para isso. Tais meios só podem provir dos sentidos, pois estes constituem os únicos instrumentos pelos quais um homem pode agir sobre outro. Aí está, pois, a instituição dos sinais sensíveis para exprimir o pensamento. Os inventores da linguagem não desenvolveram esse raciocínio, mas o instinto sugeriu-lhes a conseqüência.”
“...Apresentam-nos a linguagem dos primeiros homens como línguas de geômetras e verificamos que são línguas de poetas...Daí se conclui, por evidência, não se dever a origem das línguas às primeiras necessidades dos homens; seria absurdo que da causa que os separa resultasse o meio que os une. Onde, pois, estará essa origem? Nas necessidades morais, nas paixões. Todas as paixões aproximam os homens, que a necessidade de procurar viver força a separarem-se. Não é a fome ou a sede, mas o amor, o ódio, a piedade, a cólera, que lhes arrancaram as primeiras vozes. Os frutos não fogem de nossas mãos, é possível nutrir-se com eles sem falar; acossa-se em silêncio a presa que se quer comer; mas , para emocionar um jovem coração, para repelir um agressor injusto, a natureza impõe sinais, gritos e queixumes.”

O ato de comunicação

Em todo processo de comunicação intervém necessariamente um conjunto de fatores: um emissor ou pessoa que perante um estímulo codifica, elabora e transmite para outra _ o receptor _ uma informação ou mensagem sobre o mundo ou sobre si mesmo, dentro de um referente ou contexto. Para transmitir essa mensagem, o emissor emprega um conjunto de signos, que se combinam de acordo com regras _ código ou língua. Seu meio de difusão é um meio físico _ o canal. Exemplo: o ar, no caso das ondas sonoras; o papel, no caso do texto impresso.


ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO

Em cada ato de comunicação podem ser identificados os seguintes elementos:

1. o emissor, destinador ou remetente: é o indivíduo ou grupo de indivíduos que envia a mensagem;
2. o receptor ou destinatário: é o indivíduo ou grupo de indivíduos a quem a mensagem é endereçada;
3. a mensagem: é o conteúdo das informações transmitidas;
4. o canal de comunicação ou contato: é o meio pelo qual a mensagem é transmitida;
5. o código: é, no caso das mensagens verbais, uma língua na qual o emissor codifica a mensagem que o receptor irá decodificar. Além das línguas, existem outros códigos, organizados a partir de cores, formas, movimentos etc. Para que a transmissão da mensagem seja eficiente, emissor e receptor devem dominar o mesmo código;
6. o referente ou contexto: é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.

O conhecimento dos componentes do ato de comunicação permite-nos exercer uma avaliação mais consciente da nossa posição nas diferentes situações comunicativas do cotidiano. No caso da leitura e da produção de textos – que são os principais objetivos dos estudos de língua portuguesa - , a reflexão sobre esses elementos torna nosso trabalho mais eficaz. Observe:


Comunicação não-lingüística

Na vida cotidiana utilizamos freqüentemente _ como emissores ou receptores _ diversos signos não-lingüísticos: o sorriso amável, o aperto de mãos, os cumprimentos. São os códigos sistemáticos. Também existem os códigos sistematizados convencionais de representação gráfica (códigos de trânsito, planos, mapas e códigos numéricos).Eles auxiliam na organização e identificação das pessoas (RG, CIC) e das coisas (placas de carros, números de telefones).

Procedimentos não verbais

Os principais são os pictogramas e os ideogramas:
• Os pictogramas são desenhos figurativos que exprimem um conteúdo significativo simples ou complexo, como a escrita hieroglífica egípcia, os quadrinhos, as charges.
• Os ideogramas são signos representativos de um conceito, ou idéia, que podem ser percebidos diretamente sem passar por seus equivalentes em palavras: símbolos abstratos das escritas cuneiforme e chinesa. Também são numerosos entre os símbolos matemáticos, físicos e químicos. Têm ainda relação próxima com os logotipos, que remetem a marcas e produtos e são importantes na publicidade.


Comunicação lingüística

É o sistema de signos lingüísticos usados pelos homens para transmitir seus pensamentos e sentimentos. É a linguagem que proporciona o autoconhecimento e que permite a percepção da realidade, a transmissão dos conhecimentos e o progresso humano.


Leitura – quando você lê um texto, seu papel é o de receptor. O emissor, ao produzir o texto, tem em mente um determinado objetivo: um jornalista, um escritor, um publicitário manuseiam de formas diferentes o código e o canal de comunicação na construção de diferentes mensagens, que podem tratar de vários referentes. Como leitor consciente, você deve procurar no texto as marcas que traduzem a intenção de quem o produziu – informar, entreter, transmitir prazer, convencer, seduzir, vender, enganar são intenções possíveis. A leitura se torna mais consciente e crítica quando é considerada em toda sua trama comunicativa.


Escrita – quando você produz um texto, seu papel é o de emissor. Nessa nova situação, é você quem deve considerar as características sociais e psicológicas do receptor a fim de tornar a mensagem interessante. O sucesso de seu texto dependerá da conjugação de um eficiente manuseio do código e das informações de que você dispõe sobre o referente com o uso apropriado do canal de comunicação. Dependerá também da sua capacidade de adequar seu texto às expectativas de quem o vai ter e às finalidades que você pretende alcançar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário